Carta ao Pai: recordações e lembranças da Infância

Nossas infâncias são marcadas por boas lembranças como gostos, cheiros e uma forma de olhar o mundo muito específica.

Quem de nós nunca se pegou recordando um objeto, uma pessoa ou animal, ou uma comida que tem aquele “sabor de infância“, não é mesmo?

Pois bem, apresento neste texto uma lembrança muito importante para a minha infância em forma de carta para alguém que foi e ainda é muito importante para mim: meu pai!

A carta começa aqui. Tenha uma boa viagem no tempo, pois tenho certeza que este texto o transportará a bonitas e singelas recordações da sua infância!

Belo Horizonte, 25/06/2015.

Pipocas doce, sorriso de criança e saudade.

Inverno. Noite. Pipoca doce.

Acabo de comer 100 gramas de pipoca doce, um saco cheinho!

Lembrei-me da infância. De quando você, pai, trazia pipocas doce pra mim! Lembrei-me especialmente de um dia frio. Era noite e você voltava do trabalho, cansado, acredito eu, mas trazendo um saquinho vermelho nas mãos. Eu me lembro dum sorriso doce e gostoso de criança que se alargava num rosto de olhos sorridentes; bobo…

Pai, amo muito você!
Muito obrigado por trazer lembranças tão nobres e singelas, quase-que-de-graça, de um eu que fui um dia
; e por fazer hoje, mesmo sem saber, meus olhos marejarem!

Aqui faz frio.

Sinto saudades suas, pai!
Do seu filho (um pouco mais crescido).

2 Comentários to “Carta ao Pai: recordações e lembranças da Infância

  • Anônimo
    2 anos ago

    Que lindo, Lucas! Chorei, tá?
    Me emocionou muito, tanto pela delicadeza da história,quanto pela lembrança tão carinhosa. Gostei da sua escrita, da leveza como passa de uma coisa a outra…já sei que vou gostar de passar por aqui e "trocar umas ideias" com seus escritos…
    Eu também escrevi, não uma carta, mas 2 histórias relacionadas ao meu pai no meu blog Previsões(04 de janeiro de 2009); Predestinada (08 de maio de 2009) e depois uma despedida quando ele partiu: A última viagem(22 de dezembro de 2011). Coloquei as datas porque meu blog é horrível para encontrar os textos, aí tem que buscar pelas datas…as vezes eu até desanimo do uol por conta dessa visualização dele que é péssima. Mas como entendo pouquinho disso vou ficando por lá! kkkkkk. Bjmm. Adélia

    • Que lindo saber que a emocionei a este ponto…!

      Esse carinho e delicadeza procuro sempre exaltar nos meus textos, pois é algo que está muito presente e marcado em mim, sou bastante sentimental! rs.

      E que lindo saber dos seus textos!
      Lerei com toda certeza! Já!
      Se os títulos e os assuntos já são de tamanho impacto, mal posso esperar pelo conteúdo…!

      E ó, vou mesmo contar com a sua presença por aqui, hein?
      Você sabe que é uma querida e sempre muito bem-vinda!

      Beijo grande,
      Lucas Neves.